O RGPD ainda agora entrou em vigor e já há duas empresas a sofrer as consequências. O Facebook e a Google estão a ser acusados de promoverem um consentimento “forçado” aos utilizadores, para que estes possam usufruir dos seus serviços, indo contra as novas regras impostas pela União Europeia.

Com a entrada em vigor do RGPD, começam a aparecer os primeiros casos de incumprimento. As primeiras empresas a estarem a ser alvo de queixas são dois gigantes que lidam com dados pessoais de milhões de pessoas: a Google e o Facebook.
As duas empresas enfrentam agora um processo em tribunal submetido por um ativista austríaco, Max Schrems, que ao longo dos anos muito tem criticado a política de dados das empresas.

Embora o Facebook e a Google tenham atualizado a sua política de privacidade para estarem em conformidade com as novas regras europeias, de acordo com Max Schrems estas obtêm o consentimento dos utilizadores através de uma check box que, no caso de estes não assinalarem devidamente, não poderão aceder aos serviços. Isto, na prática, significa que os utilizadores são induzidos a consentir a utilização dos seus dados, de forma que o ativista afirmou como “forçada”.
No caso do Facebook, são três os processos jurídicos que este enfrenta, um diretamente à rede social Facebook, e outros dois ao Instagram e ao WhatsApp. No total, o Facebook enfrenta um processo na ordem dos 3,9 mil milhões de dólares. Já a Google, enfrenta um processo de 3,7 mil milhões.
A queixa de Schrems foi feita às autoridades reguladoras de proteção de dados da Austria, Bélgica, França e Hamburgo, Alemanha.

Fonte: IT Insight

Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência. Ao continuar a navegar neste site, está a concordar com o uso destes cookies. Saber mais. OK
VOLTAR AO TOPO